Coprologia Funcional

Na semana passada tive o prazer de assistir mais uma palestra do querido Dr Hélio Copelman sobre Coprologia Funcional. Há muitos anos esta mesma palestra foi a responsável pela maneira como passei a me interessar por todos os alimentos que ingerimos na nossa dieta e como eles se comportam dentro de nós. Lembro-me que saí da sala no intervalo do evento e a mesa de lanche tinha justamente os alimentos que mais fermentam, os principais responsáveis pela acidez das nossas fezes, e eu não sabia mais o que comer. Naquele instante percebi que eu estava viciada em determinados alimentos e tinha que aprender a substituí-los. Aquela palestra do Dr. Copelman foi o clique que eu precisava para mudar minha maneira de pensar em relação às doenças. “Nós nos envenenamos e nos curamos com os alimentos”.

Através de um simples exame de coprologia funcional conseguimos identificar se temos deficiência de alguma enzima digestiva e se os alimentos que ingerimos estão sendo bem digeridos e absorvidos. Quando isso não ocorre podem surgir várias doenças, entre elas osteoporose, alergias, inflamações intestinais crônicas, dores articulares e até mesmo atraso no crescimento em crianças. Foi através deste exame que decidi mudar a minha dieta e a de meus pacientes.

O Dr. Copelman há mais de 50 anos realiza, ele mesmo, este exame de análise das fezes, no seu laboratório em Copacabana e a sua experiência é enorme. Todas as vezes que ele nos brinda com esta palestra sabemos que iremos receber muitos anos de conhecimento e experiência no que faz. São poucos os médicos da sua idade que ainda conseguem manter o mesmo entusiasmo e brilho no olhar quando falam do seu trabalho. Obrigado Dr. Copelman, o seu exame tão simples, mas tão valioso me ajuda a melhorar a vida de muitas pessoas.



Escrito por Jane Corona às 18h06
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Alimentação saudável para as crianças

Atualmente a obesidade é um problema de saúde para a maioria das pessoas no mundo todo. Além disso, ela aumenta o risco de  doenças incapacitantes que podem ser evitadas como diabetes, hipertensão arterial e outras doenças cardiovasculares. Quem mais sofre com essa epidemia são os países mais desenvolvidos, tanto que 65% da população adulta dos Estados Unidos estão com excesso de peso. Nós estamos caminhando rapidamente para um número semelhante de obesos. Um levantamento do IBGE mostrou que nos últimos anos triplicou o número de crianças com idade entre 5 e 9 anos acima do peso e que esse número é maior ainda à medida que cresce a renda da família. 

Eu posso estar sempre falando sobre o mesmo assunto, mas obesidade é uma doença que pode ser evitada. Todos precisam entender que duas latas de refrigerantes podem ter quase o total de calorias que uma criança de 5 anos necessita diariamente. Ao se tornarem accessíveis e mais saborosos, os alimentos industrializados conquistam rapidamente as nossas mesas e o paladar das crianças.

Fazer a criança perder peso é muito fácil, basta modificar a sua alimentação com os verdadeiros nutrientes, que eles crescem mais rápido e são capazes de perder no mínimo 5 quilos em um ano. O aconselhamento ostensivo sobre a necessidade de melhorar a alimentação das crianças talvez possa mudar o cardápio alimentar de toda a família.

Os conselhos são os mesmos que usamos para os adultos.

  • Ofereça pelo menos cinco porções de verduras e legumes todos os dias. Caso ela recuse, não substitua por outro tipo de alimento, tente de novo o legume ou verdura rejeitada no dia seguinte.

Por exemplo: 1o  Dia – Almoço: Arroz, feijão, cenoura, espinafre com ovo mexido

Jantar: Arroz, feijão, tomate e abóbora, carne moída.

2 o Dia – Almoço: feijão, batata doce, espinafre com ovo mexido

Jantar: Arroz, feijão, chuchu e repolho, peixe.

Tente o espinafre de novo a cada 5 dias variando o modo de preparo. Ele pode ser misturado no hambúrguer caseiro ou rechear o bolo de aipim ou outro acompanhamento que a criança gostar muito.

 

  • Ofereça sempre fruta ou suco de frutas no lanche da tarde ou da manhã (creme de abacate, maçã assada, banana, tangerina, sorvete caseiro de manga, etc.)
  • Prefira misturar no iogurte os cereais integrais em vez dos industrializados.
  • Ofereça água várias vezes ao dia, jamais refrigerantes, mate ou outra bebida industrializada.
  • Introduza peixe duas vezes no cardápio da semana
  • No café da manhã procure mudar também o que irá misturar no leite: um dia fruta e no outro chocolate.

Todos nós sabemos que alimentar uma criança não é fácil, por isso nós devemos dar o exemplo comendo os mesmo alimentos que gostaríamos que ela comesse. As crianças adoram imitar os adultos, gostam de ter regras e de saber que podem quebrá-las de vez em quando.

 

 

 

 



Escrito por Jane Corona às 17h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Dieta para repor a energia

Duas semanas de folia comendo mal, com muita bebida alcoólica e com poucas horas de sono é o suficiente para atrapalhar o bom funcionamento do organismo. Depois que tudo isso acaba demoramos um pouquinho para entender que os resfriados, a gastrite, a colite, a má digestão ou o cansaço de agora possam estar relacionados com aqueles dias de excesso. Agora que o ano começou prá valer está na hora de colocar ordem na casa, repor as energias e fortalecer o sistema imune. Os órgãos mais atingidos nesses dias são os do sistema gastro intestinal e o sistema imune, que, por incrível que pareça, estão interligados. Nada acontece no nosso sistema imune sem uma ajudinha do intestino e do fígado. São eles que detectam tudo que é diferente e que pode trazer algum problema para a saúde e imediatamente solicitam uma ajuda do sistema imune para eliminá-los. Depois de tantos excessos está na hora de melhorar o funcionamento do fígado, o órgão que ficou mais sobrecarregado durante o carnaval, com uma dieta de desintoxicação.

A dieta desintoxicante é uma dieta alcalina, que consiste principalmente de frutas frescas e vegetais, saladas, alguns grãos, e poucas sementes e nozes. Quando bebemos muita água, 6 a 8 copos de água diariamente vamos obrigar os rins a funcionarem melhor o que irá ajudar o corpo a eliminar as toxinas acumuladas durante o carnaval.

As fibras das frutas e dos vegetais irão limpar a parede do intestino, o que é importante para melhorar a absorção dos nutrientes. Chás de ervas são excelentes substitutos para o café e devem ser tomados pelo menos durante uma semana, assim como frutas no café da manhã.

Seguem algumas dicas que estimulam a limpeza do organismo e aumentam a energia em uma semana.

1- Aos sucos de frutas podem ser adicionadas algas, clorofila, agrião, germinados, repolho ou ervas, como salsinha e hortelã. Por exemplo: suco de laranja com maçã e salsinha ou pêra com abacaxi e hortelã.

2- Os melhores chás são os que não têm cafeína, como hortelã, camomila, erva doce, erva cidreira e capim limão.

3- Frutas cítricas (limão, laranja, tangerina) aumentam a imunidade e as ricas em carotenóides (melão, melancia, mamão, pêssego e frutas vermelhas) aceleram a regeneração do epitélio intestinal e da pele.

4- Frutas como abacaxi, mamão, maçã e pêra melhoram a digestão.

5- A banana é uma fruta que protege o epitélio do estômago e do intestino. Se uma gastrite ou colite foi o que restou do carnaval, vale à pena comer muita banana.

6- Evite consumir alimentos que sobrecarreguem o fígado, como os industrializados e gordura hidrogenada (margarina).

6- Quando sentir vontade de comer um pacote de biscoito pare e pense como irá se sentir estufado e cansado depois.

7- Consuma menos açúcar, carne vermelha e gordura animal no mínimo durante  uma semana.

8- Não use adoçante. Se for inevitável use açúcar.

10- Prefira salada ao sanduíche e coma legumes nas principais refeições nestes dias.



Escrito por Jane Corona às 15h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Prevenindo a obesidade

Gosto muito de ler os relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) porque eles me mostram como anda o perfil nutricional das pessoas em todos os países e o risco que elas correm para contrair determinadas doenças. Um dos relatórios alertou para uma epidemia mundial de obesidade no meio deste século. Trabalhos recentes de pesquisadores brasileiros confirmaram que nossos jovens estão bem acima do peso ideal e que daqui a alguns anos seremos um país de obesos e como conseqüência natural, iremos gastar muito mais com a saúde.

Na contramão de todas as estatísticas estão os orientais, que são os que gastam menos com tratamentos de saúde, têm a menor taxa de obesidade e a maior expectativa de vida. A dieta dos orientais é rica em soja, peixes e vegetais. Eles evitam comer pão, biscoitos, queijos, molhos industrializados e gordura animal, tudo o que nós ocidentais adoramos! As porções dos alimentos são menores, servidas em pratos pequenos e cada refeição é um ritual. Eles se alimentam calmamente para não comerem em excesso, enquanto que os brasileiros devoram um prato de cheio de carne em minutos.

Nós perdemos muito tempo diante do fogão. Abusamos das frituras, do arroz, da massa, dos temperos prontos e não sabemos viver sem o queijo. Mal terminamos de comer já estamos pensando na sobremesa, que geralmente é rica em açúcar e gordura hidrogenada. A cozinha oriental é rápida, simples, com alimentos frescos e não processada. Eles fazem somente as três principais refeições e entre elas costumam beber chá em vez de refrigerantes.

Eles têm o saudável hábito de cozinhar no vapor, grelhar ou refogar em fogo baixo. De acordo com a OMS a dieta contém pouca carne, açúcar, gordura hidrogenada, gordura animal e manteiga. Apesar de gostarem de doces, as porções são menores, têm pouco açúcar, não levam creme de leite nem margarina e os doces mais populares são os de feijão, alga, gelatina e farinha de arroz. Se comermos muitos doces e alimentos gordurosos na infância esse hábito irá continuar na idade adulta. Temos muito ainda que aprender com essas civilizações milenares.

Somos um país privilegiado, temos tudo para prevenir uma epidemia de obesidade. Muita fruta, verduras, legumes, nossa costa é enorme, com todos os tipos de animais marinhos. Apesar de termos frutas em abundância a maioria das crianças vai para a escola com um saco de biscoito, sanduíche de queijo, barrinha de cereais, danoninho, achocolatado e raramente levam frutas frescas. Precisamos valorizar nossas frutas, nossos peixes e deixar de lado essa mania de se entupir de frituras e carne vermelha em casa e nas churrascarias. Educar é também ensinar a comer de maneira saudável. Os orientais passam esses ensinamentos de geração para geração e os que migram para outros países e perdem o costume alimentar milenar, geralmente se tornam obesos.

Já está na hora de nos preocuparmos em mudar o estilo de vida e ensinar as crianças a se alimentarem direito, para que não se tornem adultos dependentes de medicamentos para emagrecer. Os países da Europa e os EUA são contrários aos medicamentos inibidores de apetite, porque além de trazerem problemas para a saúde eles causam dependência e evitam que as pessoas adotem hábitos alimentares saudáveis e mudem o estilo de vida. Quem depende destes medicamentos tem um ganho de peso muito maior quando para de consumi-los. A melhor terapia para a obesidade é o exercício físico e a dieta.  Precisamos começar agora a prevenir a obesidade na infância! Ainda dá tempo de termos uma geração saudável na metade deste século, basta começar agora a ensinar a comer de maneira saudável em casa, nos colégios e usar os meios de comunicação para alertar sobre os alimentos que curam e os que adoecem as pessoas.

 



Escrito por Jane Corona às 11h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ervas energéticas

Basicamente as ervas energéticas podem ser divididas em duas categorias. A primeira são as que melhoram o desempenho físico e mental e nos ajudam a adaptar ao estresse da vida, daí serem chamadas de adaptógenas. As mais conhecidas são o ginseng americano, o siberiano e o ginseng asiático. O habitat natural é a China, Coréia, Japão e Nepal, embora seja também cultivada na Rússia. Entre nós a erva adaptógena mais popular é o Panax ginseng ou asiático. Outras ervas não menos famosas são a Rhodiola rosea (popular na Rússia) e a Schisandra chinensis (China e Rússia), mais conhecidas por reduzirem a fadiga e pelas propriedades regenerativas da função hepática, respectivamente.

O ginseng é considerado uma planta segura nas doses terapêuticas, mas há relatos de insônia, cefaléia, aumento da pressão arterial e nervosismo em pessoas sensíveis. Os orientais, os maiores consumidores, costumam tomar ginseng diariamente para aumentar a energia e retardar o envelhecimento. Ela é conhecida como erva milagrosa ou raiz que cura todos os males. Os ginsenosídeos, como são chamadas as substâncias estimulantes, ampliam o fornecimento de energia para a musculatura esquelética, o que permite um aumento da força muscular e da capacidade de se exercitar. A Organização Mundial de Saúde reconhece a atividade restauradora do ginseng como cientificamente comprovada. Algumas pesquisas confirmam também uma atividade hepatoprotetora, e isso nos leva mais uma vez a tirar o chapéu para as teorias da Medicina Tradicional Chinesa. Os médicos orientais relacionam o fígado com a origem da fadiga e do cansaço, é ele que armazena e regula a quantidade de sangue, capacita os membros e o corpo a se movimentarem. O ginseng é uma erva muito usada no tratamento da fadiga crônica!

A segunda categoria de ervas são as que atuam como estimulantes do sistema nervoso central que são os alcalóides do café, do chá, do chocolate, da erva mate e do guaraná. Estas são muito conhecidas porque, além de estimular o cérebro, aceleram o metabolismo, queimam gordura. A cafeína, o principal alcalóide, mesmo quando ingerida em baixas doses, melhora a fadiga física e mental. Quando atletas treinados consomem café antes do exercício, aumenta a capacidade para continuarem se exercitando devido a uma maior descarga de endorfina no cérebro. Essa ação estimulante é atribuída à liberação de neurotransmissores, entre eles a adrenalina, que melhora o estado de alerta. Quando acordamos de manhã nosso organismo se comunica com o meio ambiente através da liberação de neurotransmissores e os alcalóides dessas bebidas energéticas aumentam a expressão dos receptores de dopamina no cérebro, nos deixando bem humorados e mais comunicativos. Talvez seja o café o responsável pela energia e bom humor do povo brasileiro!



Escrito por Jane Corona às 15h07
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Beatriz disse que gostava de comer ovo e batata frita. Eu também gostava muito de comer ovo com pure de batata. Ela está certa, cada um deve comer o que tem vontade, porque os medicamentos alteram muito o paladar.

Quando eu fazia quimioterapia eu só tinha prazer comendo ovo frito com batata frita. Verduras não entravam,sushi e sashimi que eu adorava me dava ânsia. Cada um deve comer o que tem vontade.O paladar muda tanto que alguns alimentos simplesmente a gente simplesmente não consegue comer.
Beatriz



Escrito por Jane Corona às 11h47
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Nutrição em Câncer

Muitas pessoas me perguntam se tem alguma alimentação ou quais os alimentos mais indicados para quem está fazendo quimioterapia e radioterapia.  Para o paciente oncológico sem complicação a via oral é a mais indicada, é a que possibilita um manejo mais fácil tanto no volume quanto na adequação individualizada da dieta. Quem está fazendo tratamento com quimioterápicos ou radioterapia, pode se queixar de mudanças no paladar, inflamações da mucosa da boca (aftas), diminuição da salivação, dor durante a deglutição e algumas pessoas têm dificuldade de deglutir os alimentos, além das já famosas alterações gastrointestinais, náuseas e vômitos. Se levarmos em consideração que nem todos os pacientes apresentam todos esses sintomas vamos ver que a dieta, na maioria das vezes, tem que ser individualizada e em algumas ocasiões temos que buscar alternativas que façam ele se alimentar da maneira mais prazerosa possível.

Em geral o paciente oncológico pode e deve comer todos os alimentos naturais, verduras, legumes, raízes, cereais, grãos e frutas em geral, porque eles são as maiores fontes de fibras, vitaminas, minerais e fitoquímicos, que melhoram o funcionamento do intestino, a absorção de nutrientes e o sistema imune.

Para quem está com o paladar alterado o indicado é uma dieta mais temperada, abusando das ervas, jamais dos temperos industrializados. Uma simples batata ou outra raiz pode se transformar num suflê temperado com orégano ou alecrim e um arroz num delicioso risoto de ervilha ou palmito. O importante é variar a raiz, os grãos e os cereais. A estomatite é mais complicada, porque qualquer alimento ácido que entre em contato com a mucosa tem conseqüências muito dolorosas e aí é que eles se recusam a comer de verdade. Neste caso devemos evitar alimentos excessivamente doces, muito salgados ou ácidos, como extrato de tomate, temperos e molhos industrializados, picantes, chocolate, biscoitos, margarina e tudo que tiver cafeína, como chá, refrigerante e café. Por incrível que pareça os alimentos lácteos são muito ácidos e irritam a mucosa, portanto nada de queijo, leite nem leite condensado. O melhor é comer alimentos de fácil digestão e neutros como chuchu, abóbora, abobrinha, repolho, quiabo, verduras cozidas, purê de cenoura, de inhame, batata baroa, carne moída ou peixe e saladas de folhas. As náuseas e vômitos podem ser contornados com alimentos mais frios e sem gordura. Jamais use margarina na dieta desses pacientes, porque além de serem muito salgadas, são de difícil digestão. Tempere e cozinhe, quando necessário com óleo vegetal ou com azeite de oliva extra-virgem.

O paciente oncológico não gosta muito de escolher o cardápio, portanto não é muito aconselhável fazer aquela pergunta clássica: “o que é que você quer comer hoje?”, porque a resposta será sempre a mesma: “qualquer coisa!” Eu aconselho que as refeições sejam pequenas e freqüentes. Por exemplo: 1 colher de verdura cozida, como brócolis ou espinafre, com carne moída ou peixe grelhado e batatas cozidas com sal, azeite e alecrim. A sobremesa pode ser oferecida 2 horas depois e não é necessário beber sucos, chás nem refrigerantes durante as refeições. É melhor beber somente água e deixar o suco de frutas naturais, jamais industrializado, para mais tarde. Fruta, pudim, doce, sorvete de frutas, iogurte ou outra sobremesa, deve ser oferecida nos intervalos das refeições. Gelatina é outro problema. Todo mundo acha que ela é uma ótima sobremesa para quem está de dieta, mas esquece que o corante pode causar estomatite (aftas). O mesmo ocorre com os sorvetes cremosos e iogurte que além dos corantes têm aromatizantes e acidulantes. Quem quiser comer gelatina vai ter que aprender a preparar uma gelatina caseira, com suco de fruta natural e gelatina sem sabor. A maioria da frutas é bem aceita e com elas pode-se preparar suco, sorvete, doces ou outra sobremesa qualquer. Não existe nenhuma fruta contra indicada e sim as preferidas. Algumas são muito ácidas, e causa muito desconforto, como o abacaxi, kiwi, acerola e maracujá. As melhores frutas são mamão, banana, maçã e pêra, que são deliciosas ao natural ou cozida. Quem tem disfagia, dificuldade de deglutição, deve evitar a dieta líquida, nada de sopa. A dieta mais indicada é a pastosa (amassada com um garfo ou na forma de purê), inclusive os sucos devem ser espessados com gelatina natural ou com outro espessante, pois o engasgo com alimento líquido é mais freqüente. Feijão com arroz pode ser a solução para quase todos os tipos de complicações, além de serem as maiores fontes de fibras, vitaminas e minerais. É uma combinação bem tolerada, e muito nutritiva, assim como sopa bem grossa de ervilha e lentilha.

Para o paciente oncológico não há muita restrição alimentar, o que buscamos é contornar as situações para facilitar a aceitação do alimento, por isso devemos variar os sabores e colorir a dieta a fim de garantir a maior quantidade possível de nutrientes em cada refeição. Nada disso adianta se a pessoa se mantiver isolada durante a refeição. Alimentar-se é mais do que uma necessidade, é um ato de comunhão em torno da mesa. A atenção e o convívio com a família pode resgatar mais depressa o prazer de comer.



Escrito por Jane Corona às 16h36
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




É dengue?

Não sei exatamente quando foi que o mosquito me picou, pode ter sido no feriado do dia 20 em Búzios ou alguns dias antes na Barrinha, onde moro. Como o período de incubação do dengue varia de 4 dias a uma semana, pelas minhas contas, foi entre os dias 20 e 24 que eu servi de refeição para um mosquito antropofílico. No início, ou seja, na quinta feira 27, notei que alguma coisa diferente estava acontecendo, porque passei a noite toda tentando dormir. Como isso nunca me aconteceu, não tinha nem suco de maracujá em casa para resolver o problema. A solução foi tomar um banho morno às 4 da manhã, voltar prá cama e fazer relaxamento e meditação. Na sexta feira eu amanheci muito triste, outro sintoma que também é novidade prá mim. A tristeza era tanta que na academia me emocionei e chorei com a música na aula de alongamento. Por falar nisso, além da enorme tristeza e depressão eu sentia que o meu corpo queria que eu me alongasse o tempo todo. Não me lembro de ter tido depressão em nenhuma ocasião, nem quando fiz quimioterapia.

Passei o sábado em casa em frente à uma televisão ligada em qualquer canal e a única coisa que eu conseguia fazer era comer alguma fruta e dormir. À noite tomei a decisão de sair de casa, mas o mais longe que consegui chegar foi em Copacabana. Acabei entregando a chave do carro ao porteiro da minha mãe, subi e desabei de novo no sofá. O que fiz na verdade foi mudar de sofá! Continuei deprimida, sem fome e com um pouco de dor nas costas, que atribuí ao longo período que fiquei sentada.

À essa altura fiquei por lá mesmo e decidi que acordaria bem cedo para dar uma caminhada no calçadão. Saí para caminhar com a minha mãe às 8 da manhã no dia mais quente do ano, e trinta minutos depois eu já estava morta de cansada, todos os ossos do meu corpo doíam e com muita dor de barriga. Foi aí que eu desconfiei que estava com alguma virose e decidi me entupir de líquido. Tomei lactobacilos para melhorar a diarréia, água, suco de frutas e muita banana! A febre apareceu neste domingo no final da tarde. Até então os sintomas eram parecidos com os do rotavirus ou uma dessas viroses que aparecem todos os anos no verão. No dia seguinte pedi uma coleta de sangue domiciliar e incluí a sorologia para dengue e outros vírus. Foi assim que confirmei o dengue. Foram sete dias de muita febre, dor de cabeça, dor no corpo, nos ossos, nos olhos, com muita coceira em todo o corpo, cansaço e muuuuuiiiiito sono. O que me chamou mais a atenção em tudo isso não foram esses sintomas clássicos do dengue e sim a mudança de humor, do padrão de sono e a tristeza profunda que comecei a notar quatro dias antes do aparecimento da febre. Não sei se todas as pessoas que são infectadas sentem alguns desses sintomas, porque até hoje nenhum paciente me relatou nada parecido, provavelmente não valorizam essa mudança inicial como um sintoma ou sinal de alguma doença. Todos os textos dizem a mesma coisa, que o dengue é uma doença de início abrupto com febre alta, cefaléia e dores musculares e osteoarticulares. Ela não tem nada de abrupto, o início é muito estranho e os sintomas são todos ligados ao sistema nervoso central. A insônia, para quem dorme como um anjo que nem eu, é assustadora e a tristeza inexplicável. Estou no décimo terceiro dia da doença e esta foi a primeira noite que voltei a dormir bem. A tristeza também está desaparecendo e o meu apetite está voltando ao normal. Espero não ter dengue novamente, mas agora eu sei que ela é uma doença que antes de afetar o corpo afeta a mente das pessoas!



Escrito por Jane Corona às 10h38
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Disfunção erétil emocional

Os cientistas da Renascença que tinham interesse em resolver o problema da impotência sexual masculina observaram que o pênis não obedecia à ordem do seu mestre em ocasiões que eles mais precisavam. Leonardo da Vinci foi o primeiro a reconhecer que durante a ereção o pênis se enchia de sangue. A partir daí ele concluiu que ele era um órgão que tinha mente própria. Foi aí que ele se enganou! Longe de o pênis ter um cérebro próprio, ele está sob o controle do sistema nervoso central e qualquer distúrbio nesta rede que conecta o cérebro com o pênis pode levar a problemas de ereção. A área que controla os estímulos sexuais é a mesma que controla as emoções, daí a grande ocorrência de disfunção erétil entre os homens que estão passando por uma fase de ansiedade e estresse emocional. Cada insucesso em obter uma ereção aumenta ainda mais os níveis de ansiedade, o que acaba se transformando em um ciclo vicioso.

Situações como estresse, ansiedade de ter um bom desempenho, relações desgastadas, sentimento de culpa, problemas financeiros, raiva, podem temporariamente deixar o pênis mais flácido e levar à disfunção em pessoas de qualquer idade. Obesidade, diabetes mal controlado, aterosclerose, tabagismo, alcoolismo, vários medicamentos como drogas antidepressivas e alguns hipotensores causam também algum tipo de disfunção sexual. Estas causas emocionais, orgânicas e medicamentosas são muito comuns de serem encontradas entre os homens e são problemas possíveis controlar com a adoção de um estilo de vida mais saudável.

Fazer mudanças no estilo de vida ajuda a melhorar a saúde emocional e melhora a circulação sanguínea para o pênis. Não existe ereção sem os sinais originados no sistema nervoso central, nem sem um grande fluxo de sangue para o pênis. Hormônios liberados em situações de estresse impedem que o pênis se encha do sangue necessário para uma ereção. Aqueles homens que acham que nunca irão falhar precisam saber que vários estudos concluíram que a maioria dos homens, mais de 50 % a partir dos 60 anos, irá ter algum tipo de disfunção erétil ou não irá conseguir atingir uma ereção plena. Não adianta usar hormônios, plantas medicinais como tribulus, ginseng, catuaba, maca, marapuama e outras quando a emoção é a responsável. Drogas facilitadoras da ereção podem ser utilizadas para tratar as dificuldades de se obter e manter a ereção, mas mesmo assim ainda acredito que a maioria dos homens deveria fazer o mesmo que as mulheres fazem quando começam a envelhecer: se preocupam mais com a saúde fazendo exames preventivos, adotam uma dieta mais saudável e fazem exercícios físicos regulares. Uma pessoa ativa tem menos probabilidade de se estressar, fica menos ansiosa, tem mais hormônios e uma melhor circulação de sangue nos órgãos sexuais.



Escrito por Jane Corona às 13h29
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Endereço do consultório da Dra Jane Corona

Essa foi a única maneira que encontrei de atualizar o endereço do meu consultório e os meus telefones. Várias pessoas me dizem que o telefone que tem na internet é de uma concessionária de veículos na Barra. Tentei consertar, mas a tele lista não aceitou. Ninguém consegue me encontrar! Os endereços são: Rua Barão de Lucen 32, Botafogo - Rio de Janeiro (21) 2539-0048 OU 2266-2271 ou na Clínica do Dr. Póvoa: Rua Martins Ferreira 75 em Botafogo -(21) 2539-0906.



Escrito por Jane Corona às 12h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Vitamina D, uma vitamina multifuncional

Embora ainda não seja possível encontrar estudos clínicos de longa duração sobre a suplementação de vitamina D, pesquisas recentes têm revelado que ela é importante para o crescimento dos neurônios, previne doenças crônicas como diabetes, alguns tipos de câncer e a hipertensão arterial.

A insuficiência desta vitamina não é tão rara como pensávamos anteriormente, apesar de 80% de toda vitamina D seja obtida pela pele através da exposição solar e os 20% restantes de fontes alimentares provenientes de animais marinhos, leite e derivados e ovos. Mesmo com tanta fartura não é raro encontrar níveis sanguíneos abaixo de 75 nmol/l em idosos, adultos e adolescentes.

A sua função na saúde óssea é altamente comprovada, daí a grande preocupação dos médicos em prescrever suplementos para as mulheres após a menopausa. Se para uma pessoa saudável a dose recomendada varia de 400-600 UI/dia acredito que este valor seja insuficiente para aqueles estão num grupo de risco de desenvolver osteoporose. Até hoje não entendo porque osteoporose seja uma doença exclusivamente feminina, uma vez que ninguém costuma dosar esta vitamina nem solicitar Densitometria óssea para os homens. Encontro com freqüência paciente do sexo masculino com nível sérico de vitamina D bem abaixo da normalidade e com osteopenia. Como normalmente nos estudos sobre osteoporose os participantes são todos do sexo feminino elas são sempre suplementadas, apesar dos homens terem as mesmas necessidades corporais.

Como disse anteriormente, a vitamina D atua também fora do osso, ajudando no crescimento dos neurônios e prevenindo certos tipos de câncer, particularmente o coloretal. Está na hora de começarmos a solicitar a dosagem de vitamina D para ambos os sexos e em todas as idades, porque tem muito adolescente que fica a maior parte do dia diante de um computador e se alimentando mal.

Sempre que falo sobre osteoporose gosto de lembrar que o intestino é o órgão chave na absorção dos minerais e no metabolismo da vitamina D. Nada é mais importante para a saúde óssea que um intestino funcionando bem, com uma flora intestinal saudável!



Escrito por Jane Corona às 11h58
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Depressão leve

Nunca se consumiu tanto antidepressivo como agora. Diante de qualquer perda, ansiedade ou frustração, as pessoas, inclusive crianças, estão tomando tranqüilizantes, antidepressivos ou outra medicação controlada. Os antidepressivos naturais não são indicados para os casos depressivos graves, mas diante de uma tristeza, frustração ou depressão leve, eles podem funcionar melhor que muitos medicamentos sintéticos controlados.

Quando a pessoa tem desânimo para encarar um novo dia ou acorda cansada, é preciso investigar se existe falta de vitaminas. Geralmente a deficiência das vitaminas B12, B6 ou do ácido fólico, costuma levar a esse estado de tristeza sem nenhuma causa aparente. Nestes casos é recomendável dosar os níveis destas vitaminas, principalmente da B12 e iniciar uma suplementação. Costumamos encontrar essas deficiências em adolescentes ou mulheres jovens que fazem uso de anticoncepcionais e não se preocupam muito com a alimentação. Outra causa comum de desânimo é a deficiência de ferro, que ocorre principalmente nas mulheres que têm uma grande perda de sangue todos os meses através da menstruação. Neste caso o antidepressivo não vai adiantar nada, o que vai levantar o ânimo é um suplemento à base de ferro.

Outra maneira simples de melhorar o ânimo de muita gente é combinar uma boa alimentação com exercícios físicos. Toda atividade física ajuda a liberar endorfinas, que são os nossos antidepressivos naturais, porém quando não se tem vontade de fazer absolutamente nada o melhor é procurar uma atividade física mais prazerosa. Gosto muito de sugerir caminhadas leves ou qualquer tipo de dança, principalmente porque melhora a circulação e o fluxo de energia para todos os órgãos, inclusive para o cérebro. Embora não existam estudos que possam comprovar essas respostas energéticas os resultados são muito rápidos.

Os antidepressivos naturais são aqueles capazes de aumentar a liberação dos neurotransmissores relacionados ao bem estar, humor e padrão de sono. É de uma planta africana, Griffonia simplicifolia, que o 5-hidroxi triptofano(5HT) é extraído e há muitas evidências científicas que a suplementação de 5HT  ajuda nestes casos de depressão leve. O triptofano é o precursor da serotonina o neurotransmissor do prazer. Entre os alimentos as melhores fontes são as carnes, laticínios, cacau e banana.

Outro tratamento natural para quem sofre de insônia e ansiedade é a erva de São João, cujo princípio ativo é capaz de aumentar tempo de ação da serotonina nos seus receptores. A Valeriana (Valeriana officinalis) é outro fitoterápico muito usado para tratar ansiedade, insônia e depressão leve. Mais natural ainda é o suco de maracujá, que contém o benzodiazepínico natural Passiflorina, que relaxa e induz o sono naturalmente. Diante de uma depressão leve o que eu posso aconselhar é que se tente usar algum destes fitoterápicos supervisionado por médico, antes de partir para um tratamento com medicamento controlado. Todos esses recursos não causam dependência química e o melhor, não pesam no bolso.



Escrito por Jane Corona às 19h16
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Capsulite Adesiva

Hoje, 13 de outubro, é o dia do fisioterapeuta e quero que todos saibam como esses profissionais maravilhosos são importantes para nossa saúde.

Em março, quando fraturei o úmero, fui submetida a uma ressonância magnética que mostrou, além da fratura, uma lesão na cápsula articular do ombro direito. Depois de ficar 28 dias com o braço imobilizado a cápsula inflamada ficou mais rígida e uma Capsulite Adesiva se instalou por completo. Eu não conseguia fazer nenhum movimento, o braço estava travado e o ombro doía o tempo todo. O prognóstico para a recuperação de todos os movimentos, segundo o ortopedista, era lento e duvidoso. Comecei logo a fazer fisioterapia no ombro para ver se eu conseguia ficar pelo menos livre da dor e recuperar algum movimento, mas nada adiantava. Foi aí que eu conheci o que é uma dor aguda cronificada. Foram muitas noites sem dormir com uma dor interminável, desesperadora que restringia todos os movimentos principalmente os que fazemos para mudar de roupa. Eu começava a me preocupar na véspera com a roupa que iria usar para trabalhar no dia seguinte, porque era impossível levantar o braço para colocar uma camisa, fechar botões, lavar ou pentear os cabelos. Tudo tinha que ser feito lentamente, porque todos os movimentos eram extremamente dolorosos. Eu estava tão sensível que chorava só em pensar que teria que trocar de roupa para dormir.

Busquei todos os tipos de ajuda e foi aí que encontrei anjos e profissionais mal intencionados.

No início me disseram para fazer um tratamento personalizado de fisioterapia numa clínica particular, que não tinha plano de saúde. Foram 30 dias preciosos sem nenhum avanço no tratamento e com muito dinheiro jogado fora. Eles acharam que eu devia fazer uma hora de fisioterapia todos os dias, por no mínimo 18 meses e, o mais importante, que eu não buscasse nenhum outro tipo de ajuda para não atrapalhar nem interferir no programa de tratamento deles. Ainda bem que no segundo mês decidi procurar outros profissionais!

Fui a uma clínica de fisioterapia que tinha todos os convênios, entupida de gente, que atendia por ordem de chegada e comecei um tratamento paralelo. No início a dor não cedia um milímetro, porém depois de 2 semanas vi  uma luz no fim do túnel... Consegui levantar o braço direito e pentear o cabelo. Na Clínica conveniada eu fazia 15 minutos de infravermelho, 3 minutos de ultra som, além da fisioterapia e alguns exercícios que eles me ensinaram. Como sou extremamente determinada e estava decidida a recuperar todos os movimentos rapidamente passei a ir todos os dias. No final do segundo mês abandonei o tratamento particular que não avançava e continuei sendo atendida somente pelos maravilhosos fisioterapeutas do convenio. A partir daí o meu personal da academia de ginástica, que também é fisioterapeuta, iniciou a cinesioterapia no ombro e exercícios para recuperar a musculatura. Ele movimentava o meu ombro durante 1 hora e eu ouvia uns estalos dentro da articulação, como se alguma coisa estivesse quebrando. Não preciso dizer que doía muito, tinha dias que eu saía direto para um banho bem quente para aliviar a dor. No terceiro mês uma amiga médica acupunturista entrou no circuito também. Todas as semanas eu fazia eletroacupuntura no ombro e já na terceira aplicação a dor desapareceu como que num passe de mágica. Que alívio conseguir dormir uma noite inteira, sem ser despertada todas as vezes que tinha que virar de lado. A partir daí, a fisioterapia e a cinesioterapia progrediram muito, porque sem dor eu colaborava mais e deixava o braço solto, livre para o tratamento. A essa altura tudo o que me sugeriam eu corria atrás, coloquei pulseira “power balance”, fiz aplicação de corrente russa na região escapular e fui a um quiropraxista para fazer uns ajustes na minha coluna que estava totalmente adaptada para reduzir a dor que eu sentia no ombro. Outro santo!!! Conseguiu colocar a minha cervical no lugar e a partir daí passei a dormir como um anjo.

Em resumo, estamos em outubro, depois de 6 meses de muito exercício, acupuntura, cinesioterapia e fisioterapia recuperei todos os movimentos, estou praticamente de alta mas continuo fazendo fisioterapia pelo convenio 3 vezes por semana para não correr o risco da articulação voltar a enrijecer. Ainda fico na fila, espero a minha vez com muita paciência, já conheço todos os profissionais da clínica e todos estão felizes com a minha total recuperação. Pude comprovar que o sucesso para a recuperação de uma Capsulite Adesiva depende da paciência e determinação do paciente em levar a sério o tratamento. Quando um profissional encontra um paciente disposto a colaborar ele veste a camisa e se empenha na recuperação, e no meu caso foram muitas camisas !!!



Escrito por Jane Corona às 20h53
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Depressão no idoso

Não sei se já falei sobre a depressão que ocorre nas pessoas mais idosas, mas, mesmo assim, sempre é bom chamar a atenção para este assunto. Acredita-se que a população idosa no Brasil em 2025 estará acima de 30 milhões, portanto teremos um grande desafio pela frente se não começarmos a nos preocupar desde agora com a alimentação.

O envelhecimento apesar de ser um processo natural, se caracteriza por uma redução na capacidade funcional e mudança nas funções metabólicas. Associado a esse quadro fisiológico mais da metade dos idosos desenvolve várias patologias (hipertensão, diabetes e doenças cardiovasculares) em função dos hábitos alimentares e do estilo de vida e fazem uso de muitos medicamentos. Se a pessoa nunca teve depressão certamente ficará deprimida com tanta medicação!

Inúmeros estudos têm demonstrado que a deficiência de energia, vitaminas e minerais entre a população idosa é atribuída ao estilo de vida, aos hábitos alimentares e às patologias associadas. Dizemos que uma pessoa está deprimida quando ela fica calada, sonolenta, sem interesse por atividades, pela comida, esquecida e confusa. Neste caso o que todos fazem é agregar mais um medicamento ao arsenal terapêutico do idoso, esquecendo-se que alguns antidepressivos podem agravar ainda mais os problemas de memória e o risco de quedas.

Estudos verificaram que a deficiência de minerais e vitaminas, principalmente as do Complexo B é um dos déficits nutricionais mais freqüentes em populações de idosos. Dentre os principais sintomas da carência dessas vitaminas estão os problemas de memória, confusão mental, depressão, sonolência, anorexia, doenças vasculares, entre elas pequenas isquemias, sem falar na perda de energia e na tendência ao isolamento. Antes de recomendar atividade física e interação social para o idoso, é necessário verificar se há uma carência nutricional e tratá-la, porque, como dizia minha avó, “saco vazio não fica em pé”. As fontes naturais destas vitaminas e minerais são verduras, legumes, raízes, cereais integrais, leguminosas, carnes vermelhas e brancas e ovo, nada parecido com o que eles gostam e com o que geralmente dão para os idosos comerem que é bolo, biscoito, mingau, sopa e muito café com leite. Para um envelhecimento saudável é necessário saúde física, mental e nutricional.



Escrito por Jane Corona às 11h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Fibras da dieta

 

Se engana quem ainda pensa que comer fibra só é importante para não ter prisão de ventre.A mais importante descoberta nos últimos anos é que a dieta rica em vegetais e frutas (e consequentemente em fibras, antioxidantes e micronutrientes bioativos) está associada com uma redução no risco da maioria dos cânceres e de inúmeras doenças como ateroesclerose, obesidade, diabetes, cistite de repetição, alterações hormonais e uma flora intestinal saudável, protetora.

A alimentação do homem está se tornando cada dia mais deficiente em fibras apesar de ser tão fácil de obter 20 a 35g diariamente, que é o recomendado, através da dieta. A fibra alimentar prolonga a saciedade, aumenta o peso e o volume das fezes, melhorando o funcionamento do intestino, ajudando a eliminar a gordura da dieta e retardando a absorção da glicose. Uma dieta rica em fibras é eficiente também para a prevenção das hemorróidas, da doença diverticular e do câncer de cólon. Um intestino lento, com fezes duras e pequenas é o ambiente perfeito para desenvolver um problema inflamatório intestinal e uma flora intestinal patogênica.

As fibras fazem parte das membranas das células das plantas, é o esqueleto do vegetal. Elas são constituídas por celulose, hemicelulose, lignina, pectina, gomas e mucilagens que não são digeridas e nem absorvidas, portanto podem ser consumidas em grandes quantidades. A maioria das pessoas costuma comer um granola no café da manhã para aumentar o aporte diário de fibras. As granolas geralmente contêm cereais, açúcar mascavo, frutas oleaginosas e frutas secas, que se não foram guardadas adequadamente e consumidas logo, podem favorecer o aparecimento de fungos (mofo), aí é mais um problema para o organismo.

Como as fibras são encontradas em maior quantidade nas frutas (polpa e casca), nas hastes e folhas de todos os vegetais, sementes, legumes, verduras e cereais integrais, não é preciso recorrer somente às granolas matinais como única fonte alimentar. Nós não temos o hábito de consumir casca nem folhas de alguns vegetais embora neles esteja a maior quantidade de fibras.

De maneira geral 100 g de legumes e verduras contém mais fibras que 100 g de frutas. Para se obter a quantidade diária necessária, o melhor é distribuir o seu consumo ao longo do dia. No café da manhã não pode faltar uma fruta e se precisar de mais fibra é só adicionar no suco, leite ou iogurte, uma colher de sopa de germe de trigo, aveia ou alguma fruta oleaginosa como castanha do Pará, nozes ou amêndoas. As frutas em geral contêm muitas fibras, porém eu costumo recomendar comer algumas destas pela manhã: banana da terra cozida, manga, abacaxi, laranja, tangerina, maçã (com casca), pêra (com casca), abacate, morango, figo, ameixa e agora, que está na época, jabuticaba. No almoço e jantar o repertório é muito grande, porque qualquer alimento natural é uma boa fonte de fibras. O feijão não pode faltar, assim como uma boa salada de alface, repolho, agrião, rúcula, tomate, vagem, brócolis, couve flor, cebola e ervilha, só aí já conseguimos alcançar a meta diária. Todos os legumes e verduras podem e devem ser consumidos regularmente e em grandes quantidades, porque não engordam e diminuem a necessidade de ingerir o que não traz benefícios para o organismo.



Escrito por Jane Corona às 14h17
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Você tem dúvidas sobre alimentação? Envie um e-mail para janecorona@uol.com.br que a nutróloga Jane Corona responde.
A idéia é comentar sobre os alimentos que fazem parte do nosso cotidiano. Perguntas a respeito de situações específicas, como dieta, obesidade e problemas de saúde, não serão respondidas.
 
Histórico
Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
Votação
  Dê uma nota para meu blog